Se eu pudesse descrever em palavras o amor que sinto pela vida, eu diria, mas o que sinto está além das palavras, além das imagens, além muito além. Dentro de mim há um universo infinito, que se revela quando estou em movimento, por isso danço por isso eu atuo !
Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores.

Pesquisar este blog

Seguidores

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Castanholas



Castanhola(s) é um pequeno instrumento idiofone, de percussão por entrechoque, de origem oriental, que consiste em duas peças de madeira, marfim ou metal, em forma de concha, ligadas com fita ou cordão.



Presas pelo cordel entre os dedos médio e anular, o tocador bate uma contra a outra, na palma da mão.

As castanholas tiveram uso folclórico no Brasil no século XIX; atualmente, seu emprego parece ter desaparecido. O mesmo que "castanhetas". (A forma castanheta(s) é a mais antiga em português, acusando a forma castanholas influência do espanhol.)

Foram criadas pelos fenícios há três milênios e foram introduzidas nos demais países do Mediterrâneo através do comércio marítimo desenvolvido por esse povo. São conhecidas desde o tempo dos Romanos, são populares também em Portugal, assim como alguns países hispano-americanos. Na Espanha tornaram-se instrumento nacional.

As castanholas emitem um som seco e oco, de entoação imprecisa. Servem de acompanhamento rítmico para muitas danças folclóricas, como o flamenco, por exemplo. Na orquestra são colocadas no extremo de uma pequena vara que é agitada, facilitando deste modo a sua execução a estrangeiros. Empregam-se na música erudita para obter um colorido espanhol, por exemplo, Carmen de G. Bizet.

Em qualquer par de castanholas há uma que tem o som mais agudo do que a outra, distinguindo-se, respectivamente, com os nomes de castanholas-fêmea e castanholas-macho. Para tocá-las, há que segurá-las com o polegar através do cordão que as une; o qual atravessa a sua parte superior, chamada "orelha", fazendo-as estalar através da percussão rítmica dos restantes dedos.

Em algumas ocasiões, as castanholas de uma das mãos batem com as da outra, dependendo dos passos de baile. Também podem ser produzidos efeitos de glissando, ondulando (alternando as duas mãos), trilos e rufos vêm do norte de Portugal.
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário